Jeep lança o Compass para brigar com o irmão Dodge Journey

Tem umas histórias que são engraçadas. É o caso do grupo Chrysler com o Brasil. A marca americana, hoje sob controle da Fiat tem uma história conturbada por aqui. Talvez, mais por isso e menos pelos seus produtos, nunca decolou nas vendas.

Primeiro o grupo sofreu com a intervenção da Mercedes-Benz. O consumidor brasileiro tinha que entrar em uma concessionária da marca germânica para adquirir um Town & Country, por exemplo. Sendo que são dois carros com filosofia diferentes.

Agora, que a marca tenta se reeerguer no país sofre com a intervenção da Fiat. Primeiro, a fabricante italina decidiu que por aqui venderá o Fiat Freemont e o Dodge Journey (é o único país do mundo que isso acontece). Como todos sabem o carro é o mesmo, muda apenas a motorização.

O último capitulo desta novela acontece com a chegada do Compass ao país (que não é nada fotogênico, mas que pessoalmente agrada). O carro chega por R$ 99.900, quase o mesmo preço do irmão Journey (R$ 97.900). Porém, ao invés do crossover o Compass traz motor 2.0 de 156 cavalos de potência máxima (o Jorney entrega 289cv).

O Journey leva até sete pessoas, contra cinco do Compass. Estranhamente por ser um autêntico JEEP, o Compass traz apenas tração nas rodas dianteiras (outro equivoco). Até na lista de equipamentos eles se assemelham, sendo que o Journey ainda entrega bancos de couro e um mega sistema multimídia.

 De diferente, o Compass conta apenas com o câmbio CVT (o do Journey é automático de seis velocidades com possibilidade de trocas manuais).

Ou seja, a Chrysler depois de sofrer com a Mercedes-Benz e com a Fiat agora sofre dentro do seu próprio quintal com Jeep e Dodge disputando clientes.

Peugeot traz o cupê esportivo RCZ por R$ 139.900

A Peugeot apresentou hoje o seu cupê esportivo RCZ. O carro derivado da plataforma do 308 europeu esbanja design. Ele terá a dura missão de bater o Audi TT, sucesso de crítica e vendas.

Para isso a marca do leão aposta suas fichas no bom custo benefício do carro.  O cupê, que tem cara de bravo, custa R$ 139.900. Bem menos que os R$ 200 mil exigidos pela Audi para o TT.

Porém, nenhuma mágica acontece ao acaso. O RCZ chega com um motor 1.6 turbo (que já equipa o 3008) que rende no cupê 165cv. Vale lembrar que o TT com motor 2.0 gera 211cv. A diferença de desempenho entre os dois carros é nítida. A velocidade  final do TT é de 245 km/h, já a final do RCZ é de 213 km/h.

O RCZ que virá para o Brasil tem apenas opção de câmbio automático de seis velocidades. As trocas podem ser feitas manualmente por meio da alavanca do câmbio. Mas nada de borboletas no volante. Uma pena. As vendas começam imediatamente. Vamos ver se o Peugeot terá bala para desbancar o Audi.

Novo Fiat Panda, o Uno europeu, para brigar com o VW Up

Sabe aquele ditado popular – alegria de pobre dura pouco? Pois é, cabe direitinho no que a Fiat pensa do brasileiro. Todos ficaram admirados quando a marca italiana lançou por aqui, no início de 2010, a nova geração do Uno. Pois é, parecia um carro moderno, com proposta diferente e um monte de conceitos- como o quadrado redondo.

Então, a Fiat escolheu o Salão de Frankfurt para mostrar ao mundo o sue novo compacto para a Europa. Se trata da nova geração do Fiat Panda. Este sim, como você vai ver nas imagens, se trata de um carro moderno e estiloso. Perto dele, o nosso Uno ficou mais quadrado!

Por falar em quadrado. Parece que a fase cubista da Fiat não terminou. O novo Panda também herdou alguns elementos quadrados. Fora a forma externa, o interior também conta com elementos quadrados espalhados por toda a cabine. A diferença, é que no caso europeu a marca não poupou a tecnologia.

A Fiat não revelou muitas informações sobre o seu pequeno que chega a sua terceira geração. Sabesse que ele terá três motores a gasolina (sendo um 0.9 litros, um 1.2 de 69cv e um TwinAir de 85cv- igual ao 500)e um diesel. Mais tarde haverá uma variação off-road, como o Uno Way.

Entre os equipamentos de segurança estará incluido um sistema de detecção de obstáculos de até 30 km/h.

O carro será lançado na Europa no primeiro semestre de 2012. Lá o Panda vai brigar com o VW Up, que também será mostrado no Salão. Por aqui, o Uno disputa espaço com o Gol. Que diferença!

Citroën promete enxurrada de híbridos no Salão de Frankfurt

A recém criada família DS ganhará mais um esportivo luxuoso- o DS5 (Fotos: Divulgação)

A Citroën quer mostrar ao mundo que é uma marca preocupada com o ambiente. Para isso escolheu o Salão de Frankfurt, que começa no meio deste mês, para mostrar dois de seus novos modelos em versão híbrida. O DS5 (que será lançado oficialmente) e o C5, ambos com o sobrenome Hybrid4.

A combinação, para o mercado europeu, será entre um motor diesel de dois litros capaz de gerar 163 cavalos e um elétrico. Juntos, a marca informa, serão capazes de proporcionar bons 200 cavalos de potência máxima.

O Citroen DS5 é ainda o primeiro modelo da marca a contar com o sistema HYbrid4 full-hybrid diesel. Além de ter tração integral, o modelo ainda pode rodar apenas com eletricidade das baterias.

LINHA COMPLETA

A Citroën irá exibir a linha DS completa no Salão de Frankfurt, incluindo a versão final do DS5, que deverá ser a principal atração de seu stand por lá, já que o modelo foi mostrado apenas em Xangai.

O crossover tem 4,52 metros de comprimento, 1,50 de altura e 1,85 de largura, e ficará entre o C4 e o C5 na linha francesa.

No final do ano o Citroen DS5 chegará nas concessionárias da Europa. Além deste destaque, a Citroen também mostrará em Frankfurt o DS3 Ultra Prestige, uma versão especial que comemora o fato de que o carrinho teve 100.000 pedidos em apenas 18 meses.

Conceito


Este conceito futurista se trata de uma releitura de um furgão muito popular na França no pós guerra mundial, o Type-H. É uma minivan no melhor estilo da nossa Kombi, porém com aspecto super moderno.

A grande sacada deste conceito está nas formas (avantajadas- são 4,80m de comprimento por 2,05 de largura) e na configuração dos bancos que contam com inúmeras combinações. Tudo isso em nome do conforto dos passageiros.

Dodge Journey agora Fiat Freemont chega em agosto por R$ 70 mil

O primeiro fruto da união entre a Fiat e a Chrysler já tem data para desembarcar no Brasil. Será em agosto e o modelo responde pelo nome de Freemont. Mas quem chamar de Dodge Journey não vai errar. Isso porque se trata do mesmo carro, que recebeu uma leve reestilização do lado de fora para ganhar o logo da marca italiana.

A boa notícia para o mercado brasileiro estará no preço. O site R7 apurou que o crossover chegará ao país com preço entre R$ 70 mil e R$ 75 mil. Mais de R$ 20 mil mais barato que o seu correspondente na Dodge.

A montadora italiana aposta em armas já conhecidas para ganhar terreno no país: espaço interno para sete ocupantes e muitos equipamentos. Tela multifunção e ar-condicionado de três zonas devem estar entre os “mimos” oferecidos no carro. 

 Freemont será importado do México e, no Brasil, será equipado com um motor quatro cilindros 2.4 a gasolina da Chrysler que gera 175 cv de potência. O V6, portanto, fica reservado ao irmão mais velho, o Dodge Journey.

Renault coloca câmbio automático no Sandero por R$ 3.500 a mais

A Renault apresentou há pouco mais de um mês o Sandero reestilizado. Ficou faltando mostrar o cãmbio automático, que foi era esperado, mas não foi mostrado.

Hoje a marca anunciou o câmbio automático para o Sandero. Inicialmente, a opção é oferecida apenas para a versão Privilège 1.6 16V.

Ao contrário de seus concorrentes- Fox e Punto- o câmbio do Sandero não é automatizado e sim um autêntico automático (o que é bom, apesar de mais caro).

A transmissão automática do Sandero é uma versão convencional, com conversor de torque e quatro marchas, diferente dos câmbios automatizados usados nos modelos menores da Fiat, General Motors e Volkswagen brasileiras, que utilizam embreagem e se baseiam nos câmbios tradicionais, com cinco marchas.

O preço sugerido do Sandero Privilège 1.6 16V inicia em R$ 43.900,00, enquanto a versão manual, equipada com motor 1.6 8V Hi-Torque, custa a partir de R$ 40.400,00.

MINI Cooper Coupé é revelado em todos os seus detalhes

A Mini mostrou hoje o seu mais novo modelo. Trata-se do Cooper Coupé. O dois lugares promete ser o modelo com melhores capacidades dinâmicas da linha. Feito sobre a plataforma do Mini Cabrio, o coupe reedita o Mini Marcos Coupe, de 1966, que usou a base e mecânica do modelo original em conjunto com uma carroceria de fibra de vidro.

O parabrisas ficou mais inclinado que os irmãos, o que deixou o teto 29 mm mais baixo que no hatch. Já o porta-malas, que acomoda 280 litros, é o maior da linha Mini.

Chamam atenção na traseira os dois spoilers, um fixo no alto do vidro traseiro e um retrátil na tampa do porta malas que é acionado quando o Coupe ultrapassa os 80 km/h.

O novo modelo deve chegar às concessionárias europeias apenas em outubro. O Coupe terá motores 1.6 litro com potências entre 120 e 210 cv.  A versão mais rápida deverá atingir os 245 km/h ou mais. De 0 a 100km/h o carro deve gastar algo em torno de 6s

O Coupe também dará origem ao Roadster, já em fase final de ajustes para o lançamento em 2012. O conversível terá a mesma configuração do modelo fechado, assim como versões e motores.

A capota será de lona com acionamento elétrico, e terá um perfil muito semelhante ao Coupe. O carrinho deve aparecer no Salão de Genebra, em março de 2012, junto com a versão de produção do Paceman, o cupê de quatro lugares feito sobre a base do Countryman

%d blogueiros gostam disto: