Jeep lança o Compass para brigar com o irmão Dodge Journey

Tem umas histórias que são engraçadas. É o caso do grupo Chrysler com o Brasil. A marca americana, hoje sob controle da Fiat tem uma história conturbada por aqui. Talvez, mais por isso e menos pelos seus produtos, nunca decolou nas vendas.

Primeiro o grupo sofreu com a intervenção da Mercedes-Benz. O consumidor brasileiro tinha que entrar em uma concessionária da marca germânica para adquirir um Town & Country, por exemplo. Sendo que são dois carros com filosofia diferentes.

Agora, que a marca tenta se reeerguer no país sofre com a intervenção da Fiat. Primeiro, a fabricante italina decidiu que por aqui venderá o Fiat Freemont e o Dodge Journey (é o único país do mundo que isso acontece). Como todos sabem o carro é o mesmo, muda apenas a motorização.

O último capitulo desta novela acontece com a chegada do Compass ao país (que não é nada fotogênico, mas que pessoalmente agrada). O carro chega por R$ 99.900, quase o mesmo preço do irmão Journey (R$ 97.900). Porém, ao invés do crossover o Compass traz motor 2.0 de 156 cavalos de potência máxima (o Jorney entrega 289cv).

O Journey leva até sete pessoas, contra cinco do Compass. Estranhamente por ser um autêntico JEEP, o Compass traz apenas tração nas rodas dianteiras (outro equivoco). Até na lista de equipamentos eles se assemelham, sendo que o Journey ainda entrega bancos de couro e um mega sistema multimídia.

 De diferente, o Compass conta apenas com o câmbio CVT (o do Journey é automático de seis velocidades com possibilidade de trocas manuais).

Ou seja, a Chrysler depois de sofrer com a Mercedes-Benz e com a Fiat agora sofre dentro do seu próprio quintal com Jeep e Dodge disputando clientes.

%d blogueiros gostam disto: